PARÓQUIA METE BRONCA E COBRA REVITALIZAÇÃO DE PASSARELA INDECENTE SOBRE LINHA DA CPTM

Poucos se arriscam a atravessar a passarela do terror
Moradores da região da Paróquia de Santo Antonio da Barra Funda estão à mil com um abaixo-assinado que encaminharão ao prefeito eleito de Sampa, João Dória, solicitando a urgente revitalização de uma imunda, indecente e perigosa passarela que liga a Rua Luigi Greco à Rua Capistrano de Abreu, sobre os trilhos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
A passarela, que pode facilitar em muito a vida de quem quer pegar o Metrô pela estação Marechal Deodoro (Linha Vermelha), é muito pouco utilizada, pois tem péssima iluminação, está sempre suja, e, arquitetonicamente, é uma armadilha para que assaltantes e até estupradores possam agir livremente, uma vez que não dá visibilidade aos passantes.
Padre Luiz entrevistado por Jacqueline Brazil da Rede Globo
O abaixo-assinado e o agito que tem sido feito para colher mais e mais assinaturas atraiu, na manhã desta segunda-feira, 24/10, a reportagem do Bom Dia, São Paulo, da Rede Globo. A repórter Jacqueline Brazil, entre outras pessoas – algumas, inclusive, vítimas de violências ao se arriscar a usar a passarela –, ouviu o padre Luiz Claudio de Almeida, da Paróquia de Santo Antonio da Barra Funda, que encabeça o abaixo-assinado.
Moradores querem abaixo-assinado nas mãos de Dória assim que ele assumir
A reportagem, que deve ir ao ar brevemente, apurou com imagens e depoimentos o que está descrito na apresentação do abaixo-assinado, ou seja, que trabalhadores, estudantes e o público em geral preferem gastar com ônibus e táxi, a se arriscar a atravessar de um lado para outro utilizando a passarela do terror.
Padre Luiz: "É uma passarela onde ninguém quer passar"
Padre Luiz mostra texto de abertura do abaixo-assinado à reportagem
Para piorar situação há quem jogue lixo no local e ponha fogo
Moradores mais antigos lamentam não poder utilizar a passarela
Só mesmo com presença da reportagem moradores se animam a subir na passarela
Todo mundo tem uma história para contar à repórter sobre a passaralela
Entrevistada diz que por pouco não foi vítima de estupro na passarela

Nenhum comentário: