CELULAR IMPLACÁVEL NP

PAPAI NOEL BIN LADEN
E BAZUCA CAÇA-POLÍTICO

E o Celular Implacável NP captou imagens interessantes da supercápi, no granfino Itaim Bibi.

Primeiro, o Papai Noel Bin Laden, que, na pracinha em frente ao Shopping Brascan, parece estar prestes a detonar o sino-bomba e a mandar para o espaço o Natal paulistano.














Depois, na Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, num muro bem em frente à gloriosa agência de propaganda DM9, o grafite de uma garotinha e sua bazuca caça-político. Embora meio apagado, um quadro acima da garotinha traz a seguinte mensagem: Seja Feliz: Mate um político!
(clique na imagem para ver melhor)

NP pauta Estadão e, por tabela, o Folhão

NP levantou a lebre sobre os PMs nas subprefeituras e pautou o Estadão e a Folha de S. Paulo (edição de 1/11/2010, Cotidiano, págs. C1 e C3).
Leia a matéria do Folhão (abaixo) e compare com o post inicial de NP e a matéria de duas páginas, caderno Metrópole, do Estadão:

Militar vira "faz-tudo"
na administração Kassab

PMs fiscalizam de camelôs a táxis; 14 subprefeituras estão nas mãos de militares
Mais de 1.300 policiais atuam, por meio de uma parceria, para realizar o trabalho hoje feito por 700 fiscais municipais

EVANDRO SPINELLI
ROGÉRIO PAGNAN
DE SÃO PAULO

Fiscalização de camelôs, zeladoria de bairro, controle de táxis e motofretes, gestão de empresa pública e, se preciso, até fiscalização do Psiu.
Essas funções, antes exclusivas de funcionários civis na Prefeitura de São Paulo, vêm sendo transferidas cada dia mais para o controle de policiais militares na gestão Gilberto Kassab (DEM).
A militarização da administração Kassab começou em 2008, quando o coronel Rubens Casado foi nomeado subprefeito da Mooca para tentar moralizar uma região manchada por denúncia de corrupções de fiscais.
As suspeitas foram estancadas e, de lá para cá, Kassab passou outras 13 subprefeituras para oficiais da reserva da PM de São Paulo. Esse recorde foi registrado na semana passada, com a indicação do subprefeito de Aricanduva. No total, o município é dividido em 31 sub-regiões.
Essas indicações abriram caminho para prefeitura e PM fecharem um convênio chamado de "operação delegada". Por meio dessa parceria, mais de 2.500 policiais militares serão contratados até o final do ano para realizar trabalhos antes feitos pelos fiscais da prefeitura. Hoje, já atuam cerca de 1.300.
A prefeitura tem cerca de 700 fiscais para realizar todo o tipo de trabalho: da fiscalização de camelôs a de restaurantes e obras.
Os salários dos PMs são pagos pela prefeitura e os policiais fazem essa tarefa nos horários de folga. O principal foco é o combate ao comércio irregular. Por isso, em todas as regiões em que o comércio popular é mais forte, existem homens contratados pela "operação delegada" e um oficial da reserva no comando da subprefeitura.
A exceção é a Subprefeitura da Lapa (zona oeste). No restante, tudo está sob o controle dos militares, incluindo 25 de Março (Sé), José Paulino (Bom Retiro) e largos Treze (Santo Amaro) e da Concórdia (Brás).
A lista da militarização inclui também as áreas de trânsito e transporte.

REPERCUSSÃO

Para o deputado Major Olímpio (PDT), crítico de Kassab, essa parceria pode ser chamada de "casa grande e senzala". "Para os oficiais, as subprefeituras. Para os praças, nove horas debaixo de sol", disse.
José Vicente da Silva, ex-secretário nacional da Segurança Pública, diz que a utilização de oficiais da reserva é comum em Nova York e muito salutar para todos. "Eu só vejo com bom olhos", diz ele, coronel aposentado da PM.

Prefeitura quer dobrar
número de "policiais-fiscais"

Efetivo deverá ser aumentado para 5.000 no ano que vem, ao custo aproximado de R$ 100 milhões anuais
Ampliação de poderes dos oficiais militares aumenta o prestígio da corporação na opinião pública, diz sociólogo

DE SÃO PAULO

A Prefeitura de São Paulo pretende ampliar seu efetivo de "policiais-fiscais" no próximo ano para 5.000 homens e mulheres, num custo aproximado de R$ 100 milhões por ano.
Isso porque, além dos subprefeitos, os oficiais da reserva também passaram a ocupar na administração Gilberto Kassab outras funções estratégicas, como em algumas chefias de fiscalização, mesmo nas subprefeituras não comandadas por PMs.
De acordo com funcionários da prefeitura e militares da reserva, as indicações dos coronéis para postos na prefeitura partem do comandante-geral da PM, coronel Álvaro Camilo, e contam sempre com o aval de Kassab.

PRESTÍGIO

A ampliação de poderes dos oficiais da Polícia Militar, segundo o sociólogo Álvaro Gullo, aumenta o prestígio da corporação diante da opinião pública e a fortalece como instituição policial.
Esse fortalecimento atende aos interesses de coronéis da PM na disputa (não admitida) com a Polícia Civil para se sobrepor a ela em eventual unificação imposta por lei.
O interesse é, porém, manter da forma como está.
Com o controle de quase metade das subprefeituras de São Paulo, os oficiais conseguem uma aproximação com setores da sociedade civil que dificilmente conseguiriam apenas com o serviço policial.
Gullo diz que não concorda com a escolha de Kassab de colocar policiais militares nas subprefeituras. Essa função, segundo ele, é para administradores.
"Eles [os oficiais escolhidos] são pessoas reformadas. Têm formação diferente da de um administrador. Se o problema das subprefeituras fosse segurança pública, tudo bem. Mas não é", afirma o sociólogo.
O coronel da reserva José Vicente da Silva diz que a maioria dos oficiais superiores da Policia Militar de São Paulo possui grande experiência em gestão e uma série de especializações, além das exigidas para a área de segurança pública.

NP pauta Estadão em matéria sobre coronéis

“Metade das subprefeituras de SP está
na mão de coronéis aposentados da PM”

No dia 17/10, NP manchetou: Coronéis comandam subprefeituras de Sampa/ 13 dos 31 subprefeitos de SP são ligados à Polícia Militar. No dia 20/10, o Estadão, abriu duas páginas sobre o assunto no caderno Metrópole, com o título acima.
NP levantou a lebre e “O Estado de S. Paulo” foi atrás. Depois da chagada da internet, acabou o furo de reportagem, acabou a exclusividade. Ninguém é de ninguém.
Não pense, porém, o leitor que NP está triste com a matéria do Estadão. Não. Isso demonstra a seriedade de nosso modesto blog. É claro que gostaríamos de ser citados na matéria, mas aí é pedir demais.
A reportagem do Estadão levantou aspectos interessantes sobre a questão, como a falta de cintura dos coronéis para lidar com a população e as entidades de bairro.
Tudo, porém, segundo apurou o jornal, dentro do estilo centralizador que o prefeito NunKassab implantou em relação às subprefeituras.
Se antes elas tinham mais verbas e atribuições, como cuidar de saúde, educação e obras, hoje não passam de meras zeladorias... Daí a designação de coronéis como subprefeitos.
Diante disso, NP pergunta:
1) Por que manter a denominação de ‘subprefeituras’?
2) Não seria mais fácil retornar à denominação anterior de ‘adminstração regional’?
3) O gigantismo de São Paulo, uma verdadeira cidade-estado, não justifica uma administração descentralizada, com gente realmente talhada para exercer funções administrativas?

Confira a versão eletrônica da matéria do Estadão.

Coronéis comandam subprefeituras de Sampa

13 dos 31 subprefeitos de SP
são ligados à Polícia Militar

Alertado por leitores, NP correu os olhos pela lista de subprefeitos paulistanos e constatou algo muito esquisito: 13 dos 31 subprefeitos de São Paulo são ligados à Polícia Militar, boa parte da reserva e alguns na ativa.
Nada contra a instituição da Polícia Militar, mas imagina-se que o cargo exija pessoas com larga experiência administrativa, que tenham exercido funções relacionadas à gestão da coisa pública.
Não seria nada de se estranhar um ou outro ex-PM ou PM estar no comando de subprefeitura. Mas 1/3 deles ter ligações com a corporação, venhamos e convenhamos, é esquisito.
Ninguém quer aqui denegrir o currículo de nenhum deles, mas eles trazem afirmações no mínimo curiosas como qualificações para ocupantes de tais cargos.
Um deles, por exemplo, diz que o subprefeito, que é coronel da PM, “adquiriu experiência na administração pública ao exercer o cargo de chefe de gabinete”.
Outro currículo de subprefeito ressalta o fato de seu dono ter participado “da organização da cerimônia de exéquias do ídolo Ayrton Senna”.
Confira as informações sobre cada um deles e tire suas conclusões:

Aricanduva / Vila Formosa: Carlos Roberto Albertin, tenente-coronel PM
Cidade Tiradentes: Paulo Regis Salgado, Pós-graduação em Segurança Pública pelo Centro de Aperfeiçoamento e Estudos Superiores da Polícia Militar do Estado de São Paulo.
Freguesia/Brasilândia: Izaul Segalla Junior, coronel da Reserva da Policia Militar do Estado de São Paulo.
Ipiranga: Vitória Brasília de Souza Lima, coronel da Polícia Militar.
Itaim Paulista: João dos Santos de Souza, coronel da Polícia Militar.
Jabaquara: Roberto Costa, coronel da Reserva da Polícia Militar
Jaçanã Tremembé: José Francisco Giannoni, coronel da Reserva da Polícia Militar.
Mooca: Rubens Casado, coronel da Reserva da Polícia Militar.
Santana Tucuruvi: Sérgio Teixeira Alves, coronel da Reserva da Polícia Militar.
Santo Amaro: Ailton Araújo Brandão, coronel da Reserva da Polícia Militar.
São Mateus: Ademir Aparecido Ramos, oficial da Reserva da Polícia Militar.
: Nevoral Alves Bucheroni (Coronel Bucheroni), é coronel da Reserva da Polícia Militar.
Vila Mariana: Manoel Antônio da Silva Araújo, coronel da Reserva da Polícia Militar.

A marvada pinga que me atrapaia...

Apresentador bebe no ar
e vai pro olho da rua

Essa aconteceu na Finlândia e, com certeza, vai virar Top Five no CQC. O apresentador de TV Kimmo Wilska - cujo nome lembra outra bebida igualmente alcoólica -  foi flagrado fingindo que bebia uma breja enquanto apresentava um programa ao vivo pela emissora YLE.
O programa do cara mostrava uma reportagem sobre consumo de bebidas quando Wilska resolveu simular que estava tomando cerveja.
A brincadeira era para ser vista apenas pelos colegas do apresentador, mas quando a gravação terminou ele não conseguiu esconder a garrafa e acabou derramando a bebida no próprio terno. Danou-se. Foi posto no olho da rua.
Veja como foi a brincadeira.

Celular Implacável NP

Esgoto a céu aberto a dez
passos da Avenida Paulista

Onde você acha que a câmera do Celular Implacável NP captou essa imagem? De uma quebrada do mundaréu na periferia imensa da louca metrópole paulistana? De uma rua de São Bernardo do Campo, que de campo não tem mais nada, e que apesar de berço do Lulismo peca pela falta de segurança, atendimento de saúde precário e outras mazelas?
Pois é, como já entregamos no título, o esgotinho a céu aberto, que vemos na foto de um celular Nokia, fica bem em frente ao número 2.050 da Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, a poucos passos da glamurosa Paulista, a avenida-símbolo de São Paulo, em plena Cidade Limpa do prefeito Nunkassab.
Para piorar, a eterna poça de água suja, que acumula o lixo e os tocos de cigarros atirados pelos passantes, fica no meio-fio de um movimentado ponto de ônibus. Assim, dependendo da proximidade com que o busão passa do meio-fio, o povo parado no ponto corre o risco de levar respingos da água imunda do esgotinho...
(clique na foto para ampliá-la)

Celular Implacável NP - Quase todo mundo hoje dispõe de um celular com câmera. Com esse post convidamos os leitores a enviar ao NP imagens dos descalabros da administração pública em qualquer canto do planeta. Precisamos, é claro, que os arquivos de imagens venham acompanhados de detalhes e de identificação clara de quem fez o flagrante. O material deve ser enviado via comentário no blog ou pelo e-mail amsoldera@gmail.com

Comendo couve e arrotando caviar

Sorria: Constituição vai
garantir nossa felicidade

Pode parecer brincadeira, mas não é. Está pronta para ser votada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado a chamada PEC da Felicidade...
Para quem não sabe, PEC significa, ao pé da letra, Proposta de Emenda à Constituição; ou seja: se aprovada a proposição – de autoria do senador pelo Distrito Federal Cristovam Buarque – estará constitucionalmente assegurado a todos os brasileiros o direito de ser feliz...
A PEC, que poderá estar na mesa de discussão da Comissão logo após as eleições de 3 de outubro, ressalta que os direitos sociais citados no artigo da 6º da Constituição são essenciais à busca da felicidade.
Pela PEC, que já tem o voto favorável do deputado tucano amazonense Arthur Virgílio, o artigo 6º fica assim: "são direitos sociais, essenciais à busca da felicidade, a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados".
Como a maioria desses direitos são mal e porcamente atendidos é de se deduzir que a infelicidade continuará brotando feito tiririca... Tirica?
De qualquer forma, pelo menos na Constituição, o direito à felicidade estará assegurado. Ninguém merece...

PS: a foto que ilustra esse post é de Ubirajara Dettmar, sensível e premiadíssimo repórter-fotográfico. Conheci U.Dettmar – era assim que assinava seus trabalhos – quando trabalhei na Folha de S. Paulo. O fotografado é Boca de Anjo, um artista popular carioca, como Dettmar. Por onde andará U.Dettmar? Mas esse é assunto para um próximo post.

HISTÓRIAS DA TIA LIA (1)

Crediário

Quando o autor dessas maltraçadas chegou a São Paulo, em 1976, a loja de departamentos Mappin estava a pleno vapor. A matriz ficava na esquina da Xavier de Toledo com a Praça Ramos de Azevedo, quase de cara para o Teatro Municipal.
Na época, para comprar presentes, mobiliar a casa, fazer o enxoval de casamento e outras gastanças, o sujeito ia ao Mappin ou então ia à Mesbla, que ficava ali por perto, na 24 de Maio.
Não importa em qual, o certo é que Lia Sampaio, artista da noite paulistana que até recentemente cantava e tocava no Bar do Alemão, na Avenida Sumaré, foi a uma das lojas para fazer um crediário.
Crediário no final do século passado, em tempos de inflação e economia instável, era um verdadeiro inquérito. Queria saber de tudo. O cliente tinha que mostrar até atestado de vacina. Comprovação de renda, então, era na base da carteira profissional e holerite.
Bom, mas a Lia, que a partir de hoje (outras histórias dela virão) vamos chamar de Tia Lia, queria fazer uma compra a crédito. Escolhido o produto, foi à seção do crediário. Quando chegou a hora de dizer a profissão, Tia Lia encheu-se de orgulho e bradou:
-  Musicista.
- Como? – indagou a mocinha do crediário.
- Mu-si-cis-ta – respondeu, Lia, separando as sílabas.
A jovem foi até o gerente, que olhou desconfiado de sua mesa. Depois de alguns cochichos, ela retornou e cheia de autoridade questionou:
- A senhora não tem outra profissão, não?
E Lia respondeu rápido:
- Puta.
A moça arregalou os olhos e correu de novo para o gerente. Novos cochichos, olhares desconfiados, e a mocinha voltou ao balcão:
-- Como era mesmo a profissão que a senhora disse antes?

Tia Lia e o criador deste blog numa noite de seresta em Santana do Parnaíba

GALERIA NP

HÁ 33 ANOS NO NOTÍCIAS POPULARES

Neste mês de agosto, a saga de Pelezão, o indigente 'violentado' pela psicóloga, completa 33 anos. Abaixo, graças ao Arquivo Público do Estado, uma sequência de reproduções do jornal que dá nome a este blog, nos dias em que a história de Pelezão teve início. As manchetes são assinadas pelo criador deste blog, e os créditos nas fotos servem para dirimir algumas dúvidas levantadas por gente mal intencionada.








































































UM SONHO SEM LIMITES

Como força de vontade e cérebro podem se unir
para driblar os obstáculos e restaurar perdas
Fotos R. Mequelazzo / Texto Antonio Marcos Soldera
Eliana Zagui, nascida em 23 de março de 1974, teve poliomielite logo no segundo ano de vida. A doença deixou-a paralisada do pescoço para baixo, obrigando-a a depender 24 horas por dia de um aparelho respiratório. Por isso, mora no Hospital das Clínicas desde essa época. Mas, para alguém que, segundo previsões iniciais iria viver apenas 10 anos, Eliana é própria imagem da superação: aprendeu a ler, escrever, teclar no computador e a pintar...Tudo isso executado com a boca.
Vítima da talidomida, Daniel Rodrigo Ferreira da Silva, hoje com 19 anos, começou a pintar aos seis. Vara a madrugada, às vezes, na atividade que define como um sonho sem limites. Pinta com os pés. Assim como seus quadros, viaja muito para mostrar a sua obra e dar palestras.
O que essas histórias de vida têm em comum, além do fato de seus protagonistas fazerem parte do grupo de mais de três dezenas de artistas brasileiros da Associação dos Pintores com a Boca e os Pés, sociedade internacional fundada em 1956 pelo alemão Arnulf Erich Stegmann?
Para Daniel Martins de Barros, médico formado pela Universidade de São Paulo, com especialização pelo Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas, tais casos são exemplos de um processo de recuperação, de busca pela superação, onde o cérebro tem papel fundamental.
O grande maestro – “Simultaneamente, o esforço auxilia num processo chamado de plasticidade neuronal, no qual regiões cerebrais assumem funções novas – como a coordenação motora fina com os pés, por exemplo –, em resposta a uma requisição específica – no caso, o treino. Assim, novas sinapses (comunicação entre neurônios) são criadas, permitindo o desenvolvimento da nova habilidade. No fundo, praticar a atividade ajuda o cérebro, e o cérebro ajuda a praticar a atividade”, explica Barros, que também é membro da Associação Brasileira de Neurociência Clínica (ABraNeC) e pesquisador do Laboratório de Neuroimagem em Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.
Segundo Barros, criador do blog Psiquiatria e Sociedade, embora não se possa dizer que o cérebro comanda tudo, é certo que ele é o grande maestro do organismo e, do ponto de vista motor, “sempre procurará maneira de driblar os obstáculos que surjam, e a plasticidade que ele apresenta, essa capacidade de áreas assumirem a função de outras, é essencial em tal processo”.
Como a plasticidade neuronal é muito maior na infância, Barros ressalta que casos de deficiência desde o nascimento podem ter mais facilidade para desenvolver habilidades compensatórias, embora no que se refere a eles nem sejam "novas habilidades" exatamente, já que não tiveram outras possibilidades. Mas mesmo em casos de mudança na vida adulta as compensações podem ser impressionantes, apesar de darem mais trabalho para serem desenvolvidas.
Para chegar a isso, no entanto, frisa o pesquisador, a assistência é fundamental. “O estímulo de familiares e amigos e assessoria dos profissionais da saúde, como fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos além de médicos e psicólogos, faz toda a diferença nesses casos. Sem assistência, esse trabalho que já é difícil torna-se uma tarefa hercúlea”, conclui.
Um sonho sem limites – “Tenho 19 anos, e o mais importante para atingir o estágio atual foram os poucos amigos que tive até hoje. Sem contar a ajuda dos meus pais, que foi fundamental. Pelo lado terapêutico, destaco o atendimento da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), que, entre outras coisas, ajudou na tomada de uma decisão marcante para minha vida”, concorda Daniel Rodrigo Ferreira da Silva, que, vítima do uso da talidomida durante a gravidez de sua mãe, nasceu sem os membros superiores.
“Com o tratamento na AACD pude perceber que eu poderia utilizar melhor os meus pés, em vez da ‘mãozinha’ que tenho no lado esquerdo. Eu ficava morrendo de raiva porque não conseguia pegar as coisas. Aí adaptaram uma prótese para eu escrever. Mas eu detestava, fazia tudo com os pés. Era automático. Os médicos colocavam brinquedos para eu escolher. Entre a mesa e o chão, eu brincava com os do chão. Eu tinha mais facilidade, mais sensibilidade, e agilidade nos pés”, conta Daniel,
Daniel se empolga quando fala de sua arte. “Para mim, pintar é um sonho sem limites. Na pintura você faz aquilo que você quiser. E a vida é totalmente diferente. A vida tem uns limites, sim. Mas eles podem ser quebrados, porque a deficiência está na cabeça das pessoas”, aconselha, falando de sua versatilidade em pintar desde flores até o abstrato e de áreas que o atraem mais, como anatomia e rostos. “Sou versátil”, resume o autor de duas aquarelas escolhidas pela Associação para ser visto em outros países.
“Pinto em aquarela, acrílico e óleo. Os escolhidos são duas aquarelas, uma pintada com o pé e outra com a boca. Esses dois trabalhos vão rodar o mundo todo. Participei de um evento em Buenos Aires, no mês que passou com outros artistas da América do Sul. Foi muito bom, conheci novas técnicas e fiz bastante amizades”, completa Daniel, lembrando que todos os membros da Associação mundialmente são incapacitados de pintar usando suas mãos, sendo direcionados à satisfação de poder ganhar seu próprio sustento, sem depender de caridade.
Ao se tornar membro – ou sócio – da sociedade que tem sede no principado de Liechtenstein, seu trabalho deve ser de um padrão que possa competir em estética e base comercial com os trabalhos de artistas convencionais. Uma vez aceitos como membros, é garantida a eles uma renda substancial por toda a vida, mesmo se forem incapacitados de continuar a pintar. Isso é providenciado por meio da renda derivada da venda de seus trabalhos, como cartões, calendários e outros.
São mais de 770 artistas, espalhados por mais de 70 países, sendo 37 no Brasil, onde a Associação procura ativamente por novos estudantes e membros. Pessoas como Eliana Zagui, natural de Guariba, no interior do Estado, que vitimada por uma poliomielite tem de ficar o tempo todo presa a um aparelho respiratório e residir no Hospital das Clínicas.
Viver: o maior desafio – Ela desenvolveu técnicas para fazer de tudo com a boca. “Eu Digito, pinto, viro página de livro, teclo o telefone.” Foi ela mesma quem atendeu o telefone, quando a reportagem ligou. “Tudo começou com a terapia ocupacional, mas eu entrei com a persistência”, afirma a artista, que define a vida como “conquista”, e qualifica a própria existência como “desafio”.
“O maior desafio ao longo da minha vida foi continuar vivendo. Moro no hospital há 34 anos. O importante para chegar até aqui foi a minha persistência e coragem de continuar lutando e jamais desistir. Porque muitos só me davam até 10 anos de vida. Hoje estou com 35”.
“Aprender a fazer com a boca o que as pessoas fazem com as mãos, quando eu era ainda uma criança, foi de certa forma revoltante. Mas fui aperfeiçoando. A técnica da pintura veio muito depois. E veio por intermédio de uma voluntária, que eu chamo de meu anjo da guarda: a professora de pintura Úrsula. Há 13 anos estamos juntas. O que mais gosto de pintar são paisagens”, conta Eliana, que, apesar de ser grata por tudo o que viveu e vive no HC, acalenta na alma um sonho: ter um cantinho para morar, fora do hospital.
Força de vontade e cérebro. A Associação dos Pintores com a Boca e os Pés está repleta de exemplos dessa parceria vitoriosa pela vida. São inúmeros os casos de superação e de compensação. Se fôssemos citar todos não haveria espaço. Vamos citar rapidamente mais dois, deixando aqui os seus endereços virtuais.
Gonçalo Borges, de 57 anos, é um exemplo fantástico nesse campo. Natural de Novo Horizonte (SP), aprendeu ainda pequeno a pintar com a boca e os pés, devido à paralisia dos braços que tem desde que nasceu. Professor, artista plástico e palestrante, como consta na abertura de seu site (http://www.goncaloborges.com.br/), é pouco para definir o dono de tão notável talento artístico. É considerado uma dos mais ativos membros da Associação. Tem um ateliê de pintura e, dirigindo seu carro com os pés, se locomove para todo lado, participando de exposições e eventos.
Também não podemos deixar de mencionar a professora Maria Goret Chagas, 58 anos, mineira de Delfinópolis, mas radicada desde 1961 em Franca, no interior do Estado. Também vítima de paralisia nos braços desde o nascimento, formou-se em Letras e Educação Artística. Depois que se aposentou, passou a integrar a Associação, onde demonstra todo o seu talento na arte de pintar com a boca e os pés. Mais sobre ela em http://artgoretchagas.com/.

DIFERENÇA ENTRE BRASIL E ARGENTINA: UM DIA

ARGENTINA CAI DE QUATRO

Pois é, como alguém prognosticou na sexta-feira da derrota do Brasil para a Holanda, a diferença da seleção argentina em relação à deste país seria só de um dia.
No sábado, os argentinos foram despachados para casa pela Alemanha, e, pior ainda, com uma humilhante derrota por 4 a 0.
Para consolo da grande pátria em chuteiras, o Brasil caiu de pé, enquanto a Argentina de Dom Diego Maradona caiu de quatro...
Até 2014, pueblo portenho, se vocês conseguirem se classificar para disputar a Copa no Brasil...

AO SOM DAS VUVUZELAS IMORTAIS...


DEPOIS DA LARANJADA DA HOLANDA
PÁTRIA EM CHUTEIRAS VOLTA À VACA FRIA

Sexta-feira, 2 de julho, 11h da manhã. A pátria de calções e chuteiras, como um dia escreveu o genial Nelson Rodrigues, inicia aquele que seria o seu jogo derradeiro na Copa 2010. Em todos os cantos, recantos e quebradas do País a galera se aglomera diante de telas, telões e telinhas de tevê.
A seleção do Brasil começa a mil. Robinho marca um que é anulado. Marca outro e esse vale. O primeiro tempo todo foi da pátria de chuteiras. Kaká perdeu pelo menos uns dois.
Veio o segundo tempo e o desastre. A defesa bate cabeça e sai o primeiro gol. Em seguida outro descuido e, de cabeça, vem o segundo dos ‘laranjas’ da Holanda. A expulsão de Felipe Melo sela o desastre: Brasil de volta pra casa.
As vuvuzelas cessam. Ou, como NP presenciou numa rua de São Paulo, passam a tocar em ritmo de marcha fúnebre. Mas o pior de tudo é a cruel volta à realidade.
A desolação toma conta da gente colorida e alegre deste país, que já se preparava para matar mais um meio dia de trabalho na semana vindoura. É a hora de voltar à vaca fria.
De volta ao trabalho, de volta ao desemprego, para muitos, de volta às contas do dia a dia, às agruras, ao feijão com arroz. De volta à política toma-lá-da-cá, a uma campanha eleitoral sem oposição – ou uma oposição que nada propõe de inovador.
E assim seguimos andando, agora sonhando com a próxima Copa, como sarreou o jornal argentino Olé, que deu em manchete: BRASIL 2014...
De consolo, pode sobrar uma bela derrota da Argentina para a Alemanha. Para tanto, basta que Mick Jagger, o pé-frio assista o jogo de camarote, como fez com o seu filho brasileiro hoje, e torça para a Argentina. Ele estava entre os torcedores britânicos, quando a Inglaterra levou quatro do time alemão...

CHICO PÉ DE PATO: REPORTAGEM DE GAVETA

EM PRISCAS LAUDAS A HISTÓRIA
DE UM DOS PRIMEIROS 'JUSTICEIROS' DE SP

Em meados da década de 1980, o autor deste blog era repórter de polícia do famigerado Notícias Populares, como o leitor já está careca de saber. Entrevistei Chico Pé de Pato, ou Francisco Vital da Silva numa madrugada, em seu 'quartel-general' na zona leste de São Paulo, onde ele reinava como um dos primeros justiceiros da capital.
Juntamente com o repórter-fotográfico José Maria da Silva, ele foi conduzido ao local - acreditem -  numa 'barca' da Polícia Militar. 'Barca', era o nome que os repórteres davam às viaturas da polícia naquela época - em geral uma perua Veraneio, da Chevrolet. E por que numa viatura da polícia? Por que a dita cuja é quem fornecia as vítimas para o 'justiceiro'.

Mulher e filha estupradas - Nas laudas abaixo - os estudantes de Jornalismo terão a oportunidade de saber o que era uma lauda - está faltando a retranca 2, ou o primeiro intertítulo da matéria. E era justamente nela que estava o porquê Chico se tornara 'justiceiro'.
Sua mulher e sua filha haviam sido estupradas por delinquentes do bairro. Chico foi atrás dos estupradores e deu fim à vida deles. Como, segundo a polícia, eram 'marginais', livraram a cara de Chico. No entanto, ele ficou refém dos 'home' e teve de se transformar em 'justiceiro'. Os caras da polícia forneciam as fichas e ele matava.

Matou um tira e se danou - A reportagem sobre Chico ficou na gaveta. A idéia era engordar a lista de justiçamentos de Pé de Pato, para mostrá-lo como um verdadeiro herói da Zona Leste, ou mais propriamente da região do Itaim Paulista. No entanto, nesse meio tempo, Chico matou, por engano, um policial militar. A casa caiu. Teve que puxar o carro. A polícia que antes fornecia as indições de quem seria justiçado, agora queria liquidá-lo.
Temendo por sua vida, Chico entrou em contato com a equipe do Afnazio Jazadji, que tinha um programa na Rádio Capital. Foi armado um esquema, com a presença de advogado e tudo, para ele se entregar na sede da rádio, na avenida Nove de Julho.

Morreu com 51 estocadas - A matéria foi passada para outro repórter do NP, o Júlio Saraiva. A reportagem deste blogueiro ficou na gaveta. Só a lauda 2 - que contava as razões de ter virado justriceiro - foi aproveitada
Chico entregou-se. Passado algum tempo a mídia esqueceu-se dele. Ele foi jogado no meio de um monte de malacos na Cadeia de Franco da Rocha. Acabou executado com 51 estocadas.
Clique nas laudas para ampliá-las. As laudas abaixo são uma amostra de como funcionava uma redação de jornal num tempo em que não havia toda essa magnifica tecnologia de hoje. Tinha de se escrever em papel, rebater quando errava e colar com goma arábica as retrancas ou emendas.
A máquina de escrever do autor deste blog era uma Roayal. Uma Royal, como se dizia, mil novecentos e bolinha...












Tuiteiros dão show de cobertura em incêndio

Noite de labaredas
no Rio de Janeiro

Dois gigantescos incêndios iluminaram os céus do Rio de Janeiro do final da noite de sábado para está madrugada, e, estranhamente ficaram durante um bom tempo apenas com a cobertura do twitter, incluindo-se aí NP.
A jornalista Leda Nagle foi quem iniciou as postagens – “nenhum site de noticia confirma incêndio mata do rio alguém aqui confirma? Onde?” –, seguida por Pinky Wainer e uma série de outros tuiteiros de plantão.
Imagens chocantes foram sendo postadas e, pelo que se viu, os bombeiros demoraram muito para chegar ao local do primeiro dos incêndios, o que ocorreu nas matas do Morro dos Cabritos, na Lagoa, provocado, pelo que se apurou até aqui, por um balão.
Um absurdo que, num tempo de tanta informação, ainda exista gente com cocô na cabeça a ponto de soltar balão. Esses Neros suburbanos, se pegos, deveriam ser colocados em cima de um braseiro, sem calças, para parar de brincar com fogo.
Labaredas também tomaram conta da serra da estrada Grajaú-Jacarépaguá. Felizmente até o momento em que terminávamos esta postagem não havia notícia de que as chamas houvessem atingido casas ou prédios por perto.
No twitter já corre a campanha para a qual NP dá a maior força, uma vez que o inverno está apenas começando e essas bestas humanas que soltam balões ficam excitadíssimas nesta época. Mande ver no seu twitter: #soltarbalaoecrime

INTERVALO MUSICAL

PAPAGAIO ENJOADO

Ele anda pela night paulistana, sempre com um chapeuzinho branco no cocuruto.
Trabalhou 30 anos no Instituto de Química da Universidade de São Paulo, por onde se aposentou, indo para Manaus, onde malhou por mais três anos no Centro de Biotecnologia da Amazônia.
Sua ocupação nesse tempo todo foi instalação e operação de ressonância magnética nuclear. Hoje Luiz Carlos Roque – esse é o nome da fera – presta ‘alguma consultoria’, como ele mesmo diz. E também compõe sambas e marchinhas.
“Em 2008 tive uma marchinha finalista do concurso da Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, que foi gravada pela Som Livre”, conta, orgulhoso.
Mas não é dessa marchinha que NP está falando. NP quer que o leitor desse mal traçado blog ouça a marchinha ‘Papagaio Enjoado’.
“Essa do papagaio foi classicada no Festival de São Luiz do Paraitinga deste ano”, emenda Roque.
Então, em homenagem à Parada do Orgulho Gay, que levou milhões à Paulista e adjacências dia 6/6, NP traz para você, incauto leitor-ouvinte, Papagaio Enjoado.
Escute e veja a letra. E comente, por favor.

VEM TUITAR COM A GALERA, @VICENTINHOPT

O deputado federal Vicentinho (@VICENTINHOPT), ou alguém que o assessora, tuíta (se permitem o aportuguesamento) o dia inteiro, todos os dias da semana. 'Agora estou entrando na reunião da comissão tal', 'agora começa a falar dona Maria Cegonheira', 'quanta gente interessada', 'agora ouvimos o prefeito'... e por aí vai.

Numa tarde modorrenta de domingo NP pegou Vicentinho tuitando para o padre, pedindo que ele o perdoasse por não ter ido à missa na paróquia do bairro Baeta Neves, em São Bernardo do Campo, onde deve ter sua residência quando não está em Brasília.

Uma coisa não se pode negar: a julgar pelas vezes que aciona o seu miniblog, @VICENTINHOPT é mesmo um parlamentar muito ativo.

NP acredita até que ele cumpra o que colocou no perfil do seu twitter: defensor dos direitos da classe trabalhadora, contra todo tipo de discriminação e pela vida vivida plenamente por todos.

POVO MANSO – Em sendo assim – olha que construção linda – NP convida @VICENTINHOPT a tuitar com os infelizes trabalhadores do ABC que tomam ônibus de manhã ou à noite – indo ou vindo do famigerado Terminal Sacomã. Grande parte da galera é de São Bernardo do Campo, berço do PT, do Lula e do próprio agora @VICENTINHOPT.

E os ônibus, na verdade, são aqueles microônibus, que superlotam rapidinho, onde NP daria tudo para ver @VICENTINHOPT tentar tuitar do seu smartphone ou seja lá o que o valha. E o motorista vai parando para todo mundo e, com o pessoal já socado no buzinho, pior que sardinha em lata, ainda tem coragem de berrar, nervoso: ‘mais um passinho pra trás...’

NP sabe que a culpa não é do motorista e, sim, dos gananciosos donos desse sistema de transporte sacana que temos, graças à inoperância de nossos políticos e à falta de consciência da própria galera, que não protesta e não cobra o que prometeram no palanque os homens do ‘puder’.

Vem @VICENTINHOPT, vem tuitar no meio da galera, que mais parece aquele ADMIRÁVEL GADO NOVO cantado pela genialidade de Zé Ramalho... Vem tuitar no meio da galera que bota o político lá e se esquece que tem de cobrar, vigiar, mandar e-mail, telefonar, encher bem o saco desses caras que se arvoram em defensores do povo, mas que não passam de aproveitadores do despreparo e da mansidão da nossa gente.

Vem tuitar no meio da galera, @VICENTINHOPT...

LADRÃO DE GALINHA

Justiça volta atrás e condena Maluf
por compra superfaturada de frangos

O deputado Paulo Maluf (PP) foi condenado pela 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo por improbidade administrativa em uma ação impetrada pelo Ministério Público Estadual, sob a acusação de superfaturar a compra de frangos enquanto era prefeito de São Paulo.
A ação pede devolução da grana aos cofres públicos ao acusar superfaturamento na compra de quase 1.400 quilos de frango, em julho de 1996, por R$ 1,39 milhão, da empresa de sua patroa - Silvia Lutfalla Maluf.
A ação já havia sido julgada improcedente em primeira instância, em 2002, isentando o ex-prefeito de devolver o preju aos cofres públicos. O juiz Fernão Borba Franco disse, na época, não ter constatado indícios de superfaturamento e favorecimento ilícito na operação. Na ocasião, a acusação recorreu do caso.
A nova decisão surpreendeu, mas Malufão tem direito a recurso e, com certeza, vai se safar mais uma vez.
Por meio de sua assessoria, claro, ele negou. Xadrez nessa história só se for para usar os galináceos no tradicional prato chinês. Aliás, haja panela para tanto frango-xadrez...

PF ENGAIOLA 14 NO GOLPE DA SEGURANÇA

BANDO FORÇAVA ORGANIZADORES DE EVENTOS
A CONTRATAR EMPRESA DE SEGURANÇA PRIVADA

Apae e asilo caíram na lábia da quadrilha formada por policiais civis, um advogado e um empresário da cidade de Cerquilho, no interior

A Polícia Federal da capital paulista deflagrou hoje (6/4), com o apoio do Gaeco de Sorocaba e da Polícia Civil, a Operação Usurpação, que se propõe desmantelar uma quadrilha especializada em coagir organizadores de festas e eventos a contratar uma determinada empresa de segurança privada, cujos proprietários são policiais civis, um advogado e um empresário da cidade de Cerquilho, no interior.
Em oito municípios diferentes (São Paulo, Osasco, Itapetininga, Tatuí, Cerquilho, Alambari, Quadra e São Miguel Arcanjo), foram cumpridos 14 mandados judiciais de prisão e 27 de mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Criminal de Itapetininga. Dentre os locais de busca, estão as Prefeituras de Itapetininga, Cerquilho, Tatuí, Quadra, São Miguel Arcanjo e Alambari e 2 unidades da Policia Civil de Itapetininga.
Segundo a Polícia Federal de São Paulo, foram presos quatro policiais civis, um secretário de Itapetininga, um advogado e outras oito pessoas envolvidas em 10 tipos de crime: formação de quadrilha, concussão, falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção ativa, crimes contra a ordem tributária, peculato, prevaricação, porte ilegal de arma de fogo e fraudes em licitações.

Esquema inclui até prefeituras - O esquema de coação funcionava, basicamente, do seguinte modo: os policiais civis identificavam o responsável pelo evento social, faziam contato com ele (por telefone ou por meio de ofício da polícia civil) e o coagiam a contratar a empresa da qual são donos, usando o falso argumento de que se tratava da única empresa que atuava conforme a legislação. Coagido, o organizador da festa se via obrigado a contratar essa empresa e a aceitar o preço oferecido. Entre as vítimas dessas extorsões estão uma unidade da Apae e um asilo, que foram obrigados a contratar a empresa para festas beneficentes que promoveram.
Os policiais usavam a estrutura policial para atender aos clientes da empresa de segurança privada. Há indícios de que foram usados recursos da Polícia Civil para reforçar a segurança de eventos para os quais a emrpesa era contratada.
Além disso, durante as investigações, surgiram fortes sinais de fraudes em licitações promovidas pelas prefeituras onde se realizaram as buscas. Ao que tudo indica, mediante acerto prévio com funcionários municipais, fazia-se um procedimento de licitação com propostas encaminhadas exclusivamente pela organização criminosa. Assim, conferia-se aparência de legalidade a contrato administrativo que, na verdade, era direcionado às empresas ligadas à quadrilha, sem que houvesse qualquer concorrência.

NP NA MÍDIA / COMÉRCIO DO JAHU

“O primeiro cadáver a gente nunca esquece”
Ricardo Recchia

Lançado em outubro de 1963, o jornal Notícias Populares revolucionou o jornalismo brasileiro com assuntos polêmicos – especialmente violência urbana – textos curtos, uso de gírias e fotos grandes. Apesar de por décadas ser o veículo de comunicação impresso mais popular do Brasil, o NP, como era chamado pelos leitores, também atraiu muitos desafetos no meio jornalístico, que acusavam o jornal de exagerar nos noticiários e até inventar as notícias. O jornalista Antonio Marcos Soldera, 52 anos, natural de Boituva (SP), foi repórter de polícia durante seis anos no Notícias Populares (1984 a 1989). Ele assinou diversas vezes a coluna Histórias da Boca, uma das mais lidas do jornal, e produziu matérias que entraram para o imaginário popular, como as do caso Pelezão que, para a publicação, era o ídolo das madames paulistanas. Depois de sua passagem pelo NP, Soldera trabalhou em diversas outras publicações e durante muitos anos atuou como assessor de imprensa. Mas foi a experiência no jornalismo popular que marcou sua carreira. Tanto é que, apostando no futuro do webjornalismo popular, Soldera lançou um blog (www.noticiaspopulares. blog.br) para “exercer papel semelhante ao que o Notícias Populares exercia na mídia impressa”.

(Transcrito da versão online do jornal COMÉRCIO DE JAHU. Clique no nome do jornal e veja a matéria na íntegra)

Edição impressa

MAIS DE 700 COMENTÁRIOS DE APOIO EM SITE

Prisão de dono de farmácia revolta
moradores em bairro de São Bernardo
NP não quer entrar no mérito das acusações feitas contra William Peliello, 59 anos, dono da Droga Mater, no Jardim Hollywood, São Bernardo do Campo, preso no meio da semana passada. NP gostaria, sim, de fazer uma só pergunta e depois expor os fatos: como alguém tão benquisto pela população do bairro onde trabalha pode ser acusado de tantas irregularidades?
Preso em flagrante, William vai responder por tráfico de drogas (anabolizantes), venda de medicamentos sem registro, crime contra a relação de consumo (remédios vencidos), exercício ilegal da medicina e posse ilegal de arma - na farmácia, segundo a polícia, foi apreendido um revólver calibre 32 com a numeração raspada. Se condenado pode pegar de 20 a 40 anos de prisão.
Indignação geral - Embora o fato tenha frequentado os programas de TV que exploram a desgraça alheia, a reportagem de NP só tomou conhecimento do episódio ao passar pela farmácia. E o que mais me chamou a atenção, além de conhecer superficialmente Willian, foi a comoção que a sua prisão e o fechamento da farmácia causaram entre os moradores do Jardim Hollywood.
Além de uma manifestação ter sido organizada em frente ao fórum que fica nas imediações, de uma dezena de cartazes feitos em cartolina nas portas da farmácia, a notícia no portal do Diário do Grande ABC, registrava até este domingo 747 comentários, todos favoráveis a William.
Em frente à farmácia,  NP encontrou um senhor beirando os 80 anos em prantos diante dos muitos cartazes pregados nas portas. “Ele sempre foi uma pessoa boa, ajudou muito a mim e a minha família”, murmurou, recusando-se identificar e a tecer comentários mais esclarecedores.
Já Terezinha Ribeiro, que reside no Jardim Hollywood há 39 anos, não teve dúvidas: “Conheço o William desde que mudei para cá. Comprei medicamentos e outros produtos em sua farmácia e não tenho nada contra ele”, afirmou.
E na mesma linha seguem-se os comentários feitos pelos leitores no portal do Diário do Grande ABC, que reproduzo a seguir, sem alterações. Quem quiser ver na íntegra a matéria é só clicar no link ao final da matéria.
Luciano Riccomini (14/03/2010 às 12:00) - William, já o conhço a 15 anos, toda minha familia se consulta com vc, inclusive minha irmã que mora na Italia, quando vem ao Brasil...Tenho um plano de saude de primeira linha, mas minha 1a opção sempre foi os conselhos do William. Sr. Reporter, Delegado e Delegado o que vc ganharam com isso? William conte comigo.
Denis (14/03/2010 11:30) - O engraçado que ninguem faz nada com os responsaveis pela governança de SBC onde estamos no descaso , pagamos impostos e nao vemos resultados. William torcendo por vc.
Alexandra Silva Cremonezi (14/03/2010 às 10:18) - Fiquei muito triste de saber dessas coisas, eu estou operada da coluna e tive alta dia 12 e não tinha ficado sabendo disso, pois minha pressão estava subindo muito e meus pais não me contaram. William, nós te amamos muito !! E tenho fé que Deus está te protegendo e esse sem vergonha que fez isso vai pagar caro !!
Simone (14/03/2010 9:21) - As pessoas sempre procuraram o Sr. William, ele nunca foi bater na porta de ninguém ou fazer propaganda dos seus serviços. Ele nunca forçou ninguém a comprar medicação alguma, muito pelo contrário, muitas vezes ele dizia que bastava colocar um gelo ou ir tomando um soro caseiro e coisas do gênero...Foi uma INJUSTIÇA! ++
Simone (14/03/2010 às 9:17) - A famarcia está localizada num bairro privilegiado e as pessoas que a frequentam ao longo de todos esses anos são pessoas com considerável nível de instrução. O Sr. Willian nunca se disse ou se fez passar por médico. TODOS nós sempre soubemos que ele não era médico. Ele nunca cobrou por isso e só ajudou as pessoas.
Claudio Fernandes (14/03/2010 9:10) - Fiz questão de ler todos os comentários e levei pelo menos 2 horas para isso. E concordo: o Sr. William, tido aqui como charlatão, parece ser a única coisa integra dessa história. Há interesses envolvidos nessa ação. Interesses espúrios, resta saber de quem e porque. Sr. Willian fique calmo a comunidade está contigo!
FAMILIA PONTES (14/03/2010 3:19) - ...Realmente, um homem como o William, ajudando, orientando, acalmando sempre os que lá o procuravam...36 anos , servindo e amparando , quem sabe até , o infeliz que começou esse absurdo...Quanto custa uma consulta ??? quem tem CRM e *mata*, por negligencia?? alguem conhece algum caso de lipo, onde houve erro medico ???
Nelsinho (12/03/2010 17:52) - Desde que me entendo por gente o William cuidou de mim e de minha família. Minha mãe mora à 45 anos no bairro, minhas irmãs, meu falecido pai e até mesmo esposa, sogra e filhos, sempre atendidos (com muito carinho e atenção) por ele, esposa, Renato e outros. É um absurdo! Um homem de bem!!!
Rose (12/03/2010 11:44) - Infelizmente este país é uma brincadeira para não dizer algo pior. Tanta gente precisando ser presa, principalmente nossos políticos, extremamente corruptos, bandidos matando sem piedade e eles vão mexer com quem ajuda. Haja vista o tamanho da comoção que causou esta prisão.Um absurdo! Por favor acordem!
William Soubihe Junior (12/03/2010 às 11:42) - Fui residente em S B C por mais de 18 anos e sempre ouvi falar muito bem do farmacêutico William. Certa vez passei com minha filha que sofre de dermatíte atópica desde os 7 anos, não houve cobrança alguma, nem prescrição de nenhum medicamento ele aconselhou sair da poluição de S P.
Maria (11/03/2010 às 22:11) - A Prefeitura, Vigilância Sanitária área de saude deviam preocupar com povo e não prejudicar a quem sempre ajudou a todos qto a arma talvez seja pq tá cansado de ser assaltado trabalhando até altas horas da noite ajudando a todos e não tem segurança nenhuma William força a justiça será feita tenho fé.

http://www.dgabc.com.br/News/5798128/farmacia-e-interditada-em-sao-bernardo.aspx

FIM DA LINHA PARA GERALDÃO, DONA MARTA...

POLÍCIA ATRÁS DO INFELIZ QUE EXECUTOU GLAUCO,
SEU FILHO E SEUS QUADRINHOS MARAVILHOSOS
A polícia continua atrás do principal suspeito do assassinato do cartunista Glauco e seu filho Raoni. Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, 24, era conhecido da família , e, segundo apurou a polícia, estava acompanhado de mais um homem, que dirigiu um Gol cinza usado na fuga, e não três, como foi informado inicialmente.
Cadu, como era chamado suspeito, era conhecido da família e estaria transtornado no momento do crime, segundo a polícia. O assassinato ocorreu na madrugada desta sexta-feira (12) em Osasco, na Grande São Paulo.
Com base nos depoimentos colhidos até agora pela polícia, as investigações apontam que não houve tentativa de assalto e que se trata de um homicídio. A polícia já ouviu cinco testemunhas nesta sexta (12), entre elas Juliana, enteada do cartunista.
Demente matou Glauco, o filho e seus personagens - Juliana relatou ter sido rendida, em sua própria casa, que é vizinha da casa de Glauco. Com uma arma apontada para a cabeça, ela foi levada à força para a casa do cartunista. Ambos entraram na casa de Glauco, que foi recebê-los.
Pelas declarações colhidas pelas autoridades, o assassino estava “totalmente transtornado, muito possivelmente drogado”. “Ele não falava coisa com coisa. Dizia coisas desconexas como, por exemplo, que queria se matar ou queria que Glauco o acompanhasse à casa de sua mãe, para explicar para ela que ele seria Jesus Cristo”, disse o delegado.
Tentativa de assalto ou homicídio o que importa é esse desgraçado tirou a vida de Geraldão, Geraldinho, Dona Marta, Zé do Apocalypse, Casal Neuras, Doy Jorge e outros personagens maravilhosos criados por Glauco.
Mãe de Geraldinho 'batizada' em Boituva - Conheci Glauco nos anos 1980, quando trabalhava na Folha de S. Paulo, e vez por outra cruzada com ela num dos Sujinhos da Barão de Limeira. Sempre fui fascinado pelos seus quadrinhos. Era a primeira coisa que fazia ao abrir a Folha de S. Paulo.
Nunca me esqueço que houve um concurso para dar nome à mãe de Geraldinho, tira que ele publicava na Folhinha, e o vencedor foi um garoto de Boituva, minha terra natal. O nome escolhido: Socorro, muito apropriado para a progenitora do agitado Geraldinho...

CÉU E MAR, ESTRELAS NA AREIA...ADEUS, JOHNNY ALF

-Ah, se  a juventude que essa brisa canta/ ficasse aqui comigo mais um pouco/ eu poderia esquecer a dor de ser tão só/ pra ser um sonho...
A primeira vez que ouvi esses versos, era adolescente lá em Boituva, nos 1970. A bossa nova já tinha perdido espaço para outros gêneros, mas eu comecei a conhecer a bossa nova ali, naquele disco de coleção da editora Abril, que foi presenteado por minha tia Josefina, que provavelmente nunca o ouviu. E Dóris Monteiro continua:
- Daí então quem sabe alguém chegasse/ buscando um sonho em forma de desejo/ Felicidade então pra nós seria/ E a madrugada acalentaria a nossa paz...
- Fica, oh brisa, fica pois talvez quem sabe/ o inesperado faça uma surpresa/ e traga alguém que queira te encontrar/ e junto a nós queira ficar...
E tinha ainda no bolachão aquela outra música linda, cantada pelo próprio: Céu e Mar/ estrelas na areia...
Pois é: só agora há pouco, vendo uma página qualquer de internet, li, com lágrimas nos olhos, o frio noticiário das agências: O cantor, pianista e compositor Johnny Alf morreu nesta quinta-feira (4). Ele estava internado em estado grave no hospital Mário Covas, em Santo André, na Grande São Paulo. Ele tinha 80 anos.
O velório será realizado a partir das 11h desta sexta-feira (5), no Teatro Sérgio Cardoso, na Bela Vista.

NOTÍCIAS POPULARES NA MÍDIA

DE BLOG PARA BLOG
Nossa última proeza em termos de mídia é um post generoso (http://bit.ly/d502bC) que está desde o último domingo como destaque no blog Violão, Sardinha e Pão,  do 'jornalista, pesquisador e palmeirense' Matheus Trunk.
Trata-se de uma longa entrevista com este que vos escreve, publicada na íntegra. Visite e leia - se não for por nossa entrevista, vale pelo Violão, Sardinha e Pão, que é muito bem feito, embora seja definido pelo autor como 'um blog paulista, nelsista e politicamente incorreto'.
O único defeito do blog, na minha opinião, está no seu autor, que é palmeirense de carteirinha. Aliás depois da última derrota do Porcão, 3 a 1 para o Santo André, disparamos um twitter com a revelação de uma vidente macabra: há uma cabeça de LuxemBURRO enterrada no Parque Antártica...

UMA IMAGEM X MIL PALAVRAS

Quando comecei no jornalismo, era comum a expressão 'uma imagem vale por mil palavras'. Sempre invejei os colegas do fotojornalismo, porque iam mais cedo para o bar. E também porque num clique conseguiam dizer muito mais do que eu com as letrinhas.
Quantas vezes saí com o José Maria da Silva ou o José Luiz Conceição para cumprir minhas pautas pelo NP. Nós chegávamos da rua, eles iam para o laboratório e em seguida deixavam um monte de fotos na minha mesa. E, muitas vezes, as fotos até dispensavam o meu pobre e enchedor de linguiça texto.
Enquanto eles saíam para o boteco, eu ficava batucando a reportagem numa máquina Royal mil novecentos e moraes sarmento. Fazia a sugestão de chamada, as legendas das fotos e claro o texto da reportagem, dividido, quando era matéria de capa, em no mínimo uma retranca, ou seja um subtítulo.
Hoje em dia, não tenho mais inveja de ninguém. O Zé Maria está aposentado e o Zé Luiz na ativa, mas, claro, em outro jornal.
Sempre gostei de fotografar. Nos meus tempos de assessor de imprensa da prefeitura, em Boituva, tinha uma K 1000, da Pentax. Adorava fazer as fotos sem usar flash. Só na base do fotômetro.
Fotômetro ou fotómetro, para os filhos da era digital, é um aparelho que mede a intensidade da luz. Vinha embutido na máquina. Minha boa K 1000, que eu esqueci num ônibus no começo dos anos 2000, era completamente analógica e tinha um fotômetro embutido.
Mas hoje, em tempos de megapixels, não dá para invejar os meninos da fotografia. A foto acima, fiz com um celular com câmera de dois megas. Sem querer me gabar, está boa pra caramba.
Não precisa de palavras. Explica-se por si. Homens e mulheres com o olhar cansado de fim de dia, pegando um ônibus - lotadaço - para ir para casa. Percebe-se que nem mesmo quem está sentado sente-se confortável. Enquanto isso os políticos - deslocando-se de helicópteros - perdem-se em promessas que jamais vão cumprir sobre o transporte público...
Mas por que estou falando tanto. Clique na foto para aumentá-la e dê sua própria interpretação.

NA NOITE PAULISTANA

Tião Preto e Lipe Canindé
mandam ver no Bar do Alemão
com MPB de primeira linha
Com música da melhor qualidade de domingo a domingo, o Bar do Alemão, do mestre Eduardo Gudin, continua mandando ver na noite paulistana.
Às quartas-feiras, o já quarentão Alemão tem aberto espaço a novos cantores e músicos, que se apresentam como convidados especiais.
Nesta quarta, a atração é Tião Preto, que manja tudo de samba, tem muita ginga e dá um show de talento na interpretação musical.
Tião estará acompanhado no violão sete cordas por Lipe Canindé, outro craque da night de Sampa no momento.
O Bar do Alemão fica na avenida Antártica, 554, pertinho do shopping West Plaza.
O show começa às 21h30 e couvert artístico é só R$ 7.
O telefone do Alemão é 3879 0070.

Clique nos links abaixo e conheça um pouco dos dois:

http://www.youtube.com/watch?v=Noic2Y2ZP2Q

http://www.youtube.com/watch?v=M7L5FlMy-L8

NUM BOTECO DA ZONA NORTE

Papai-Noel chega fora de época
e termina entalado na chaminé
Um garotão de 19 anos tentou bancar Papai-Noel fora do tempo e ficou mais de uma hora entalado na chaminé da churrasqueira de um bar do Mandaqui, zona norte de São Paulo.
Segunda a Agência Estado, o Papai-Noel fanfarrão entrou na tubulação - ou literalmente pelo cano - provavelmente com a intenção de acessar o interior do bar, mas acabou entalado, ficando apenas com os pés à vista na chegada à churrasqueira.
Vizinhos do bar, cujo dono mora no pavimento superior, ao ouvirem os gritos por socorro, acionaram a Polícia Militar pensando que o comerciante passava mal.
Bombeiros também foram acionados minutos depois após o rapaz ser flagrado preso na chaminé.
A equipe de resgate chegou no local à 1h20 e, meia hora depois, safou o Papai-Noel da tubulação.
O caso foi registrado no 13º DP, da Casa Verde.

(Ilustração by Rafael Rivera Soldera)

VAQUINHAS DO BEM

JOANA COW E VACA-BONDE NÃO
DÃO 'REFRESCO' PRA NINGUÉM

Pois é. Eu vi duas das 90 vacas que ficarão expostas até março pelas ruas e outros locais da cidade de São Paulo, no evento muncialmente conhecido como a Cow Parade.
A primeira que eu vi foi no Terminal Sacomã, a Joana Cow, da artista Teca Michele, onde a bichinha, sentada, está estilizada como uma joaninha. A outra - Vaca-Bonde - , do artista plástico Marcelo Calado, eu vi na Estação Mercado, do Fura-Pita.
Animal sagrado na Índia, a vaca, neste caso, é o símbolo de um movimento artístico internacional. Mais de quatro mil delas já passearam por 58 cidades do mundo. Depois de expostas, elas são leiloadas, e o dinheiro vai para instituições sociais.
Muito gostoso encontrar essas vaquinhas. Principalmente quando a gente sabe que elas não são 'vaquinhas de presépio', como a maioria dos políticos que temos, dizendo amém a todas as sacanagens do Executivo em nível federal, estadual e municipal, e que não têm tetas, pra político safado mamar...
São apenas vaquinhas do bem.